Principal
  Página principal 
 Saúde Pela Água
Preços e reservas
  Preços
  Fotos da Quinta
  Reservas/Formulário
A vivenda
  Informações
  Regras de utilização
  Fotos das vivendas
  Como chegar à Quinta
A região
  Parque nacional
  Freguesia da Ventosa
  Temperaturas e fauna
  Locais a visitar
  Fotografias da região 
Outros
  Links úteis/Parceiros 
  Lista de mailing
  Opiniões dos clientes

Este  site já foi visitado
counter
Desde 25/07/2005

Ultima actualização
01/04/2010

Parque Nacional da Peneda do Gerês

Foi a primeira área protegida a ser criada em Portugal, no ano de 1971, e é o único parque nacional existente no país. Depois de ter albergado, em tempos, o Urso-pardo e a Cabra-montês, a Peneda-Gerês é hoje um dos últimos refúgios dos grandes predadores, como o Lobo e a Águia-real.

A Peneda-Gerês destaca-se pela particularidade de constituir o único Parque Nacional existente em Portugal. Criado em 1971,abrange uma área de 72000 ha, com uma extraordinária diversidade de climas, meios e paisagens, constituindo a zona de transição entre as regiões Mediterrânea e Euro-Siberiana. Devido a isso, encontram-se espécies animais e vegetais raras ou inexistentes noutros pontos do país.

A ocupação humana remonta há 7000 anos, sendo frequentes os monumentos megalíticos, celtas e romanos. Memória e herança desses tempos são os vestígios das formas de vida comunitária, hoje já quase desaparecidas mas ainda presentes, e que em pontos isolados vão ainda sobrevivendo às mais modernas manifestações de intervenção humana. O vasto património que ainda possui faz da Peneda-Gerês um destino obrigatório para quem quiser conhecer os Parques de Portugal.

Dois planaltos - Castro Laboreiro (a Norte) e Mourela (a Leste) - delimitam o semi-círculo granítico que forma este Parque. Entre eles erguem-se as Serras da Peneda (1373 m), Soajo (1217 m), Amarela (1092 m) e Gerês - a mais elevada (1545 m) e extensa.

Graças à acentuada pluviosidade, existe uma rede hidrográfica muito densa, donde se destacam os rios Peneda e Castro Laboreiro, Lima, Homem, Gerês, Fafião, Cabril e Cávado. Existem ainda seis barragens construídas na área do Parque.

As populações serranas desde sempre viveram com base na pastorícia. O comunitarismo subsiste ainda nas "vezeiras", em que cada pastor leva, à vez, o gado na aldeia a pastar no monte.

Na Peneda e Soajo existiam tradicionalmente duas habitações: as inverneiras - na aldeia principal a baixa altitude, utilizada durante os meses mais frios - e as brandas - utilizadas na Primavera, para onde as populações deslocavam buscando os pastos da montanha.

A vegetação típica da região é o carvalhal. É quase o Carvalho-negral que predomina coexistindo com uma diversidade impressionante de fetos, musgos, liquens, cogumelos e plantas como o ameaçado Azevinho. Existem matos onde pode ser encontrado o Lírio-do-Gerês, mas que são constituidos maioritariamente por Urzes, Giestas, Tojo, Carqueja, gramineas e Zimbro. Este último, a par com o Pinheiro-silvestre, o Teixo, o Vidoeiro e o raro Feto-do-Gerês são verdadeiras relíquias da flora glaciar. Das diversas influências climáticas resulta por vezes uma flora inesperada, sendo exemplos os sobreiros e os carvalhos-roble. Nas zonas com maior elevação podem ser encontrados locais permanentemente alagados, onde as plantas carnívoras, com destaque para a Orvalhinha, marcam uma presença característica.

Apesar de contar já com algumas espécies extintas, como o Urso-pardo e a Cabra-montês, o Parque Nacional apresenta ainda uma fauna diversificada, de onde se destacam mamíferos como o Lobo, o Corço, o Javali, a Raposa, o Toirão e a Lontra. No que respeita às aves, assumem especial importância a ameaçada Águia-real, o Peneireiro, a Coruja-do-mato e os Chapins.

 
 
_____________________________________________________________

A Quinta da Veiga " Verde"

Ajude-nos a  proteger o ambiente
Poupe água e electricidade! Separe o Lixo!

Além da Verdura e variedade da vegetação que aqui temos, ambicionamos
mais verde, porquê?:
1º Temos todos os seres humanos o dever  de preservar este planeta onde
vivemos, que já foi de outros humanos que por cá passaram, não é nosso,
mas enquanto cá estamos devemos trata-lo como nosso, para que também
seja de todas as futuras gerações.

2º Um cidadão com um irrepreensivel dever de cidadania, só se pode esperar
comportamentos que se pautem por preservar a Mãe Natureza, em louvor,
elevado respeito e agradecimento ao nosso Criador.

3º  Ter boas práticas e um elevado cuidado com os consumos de água fria,      
consumindo apenas o que é necessário e nunca fazer desperdícios.       
Lembre-se que á gente neste planeta que não tem água para as suas     
necessidades mais elementares.

4º A energia, quer seja o gaz para aquecimento de água ou electricidade tem
grandes e graves efeitos na camada de Ozono e como todos sabemos, já está
a provocar grandes e destruidoras catástrofes naturais e a breve prazo a           
Península Ibérica vai sofrer grandes mudanças climatéricas, que vai alterar       
toda a forma de vida que aqui hoje temos: exemplos:- Seca, Incêndios              
devastadores, terras  estéreis, desertificação, novas doênças e pragas.             

5º Apelamos também para uma separação cuidado de lixo, separando o          
o que se decompõe do outro que é para reciclar.

Entre neste link abaixo da BBC e veja as concequências:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/especial/1126_clima/index.shtml

_____________________________________________________________

© 1998-2010 Todos os direitos reservados. 
A Quinta da Veiga é uma marca registada no INPI.
 
Fica expressamente proibida a reprodução total ou parcial dos conteúdos  deste
Sítio salvo autorização  por escrito da
Quinta da Veiga.
 

António José Soares Pereira  
    Rua  do  Fujacal, nº 74 - 1ºDtº
4705 - 097   Braga,    Portugal

      Telefones: +351 253277222/+351 969008683
Email:
quinta-da-veiga@bragatel.pt
   
 Travel Skype:- antonio2246   
Webdesigner: Luis Santos